Você conhece a sua história?

As estórias sempre nos encantam, porque nos levam a dimensões nunca imaginadas. Ler um livro de ficção, por exemplo, faz com que viajemos por outros mundos, que não vamos conhecer, mas que eternizam alguns sentimentos. Já a História, estudada na escola, nos leva a uma dimensão real, que hoje não existe mais, mas que ficouContinuar lendo “Você conhece a sua história?”

Qual é o seu problema?

Todos temos problemas. Isso é algo inquestionável. A complexidade do problema está no olhar de quem vive a adversidade.  Nesse raciocínio, o meu problema sempre vai ter um grau menor de resolubilidade que o do outro, ou seja, as chances dele ser resolvido num curto espaço de tempo são menores. Há pessoas que conseguem resolverContinuar lendo “Qual é o seu problema?”

Por que nos decepcionamos?

Desapontamento, desilusão, frustração. Todos os significados nos informam que a decepção é um sentimento criado ou sentido por nós, e não pelos outros, como muitos acreditam. Portanto, decepcionar é um ato que podemos evitar, ainda que seja uma árdua tarefa. Epicteto, filósofo grego, dizia em seu O Manual para a Vida, que “As coisas seContinuar lendo “Por que nos decepcionamos?”

O que é um absurdo?

Para início de conversa, vamos definir o que é um absurdo. Segundo o dicionário, “é um adjetivo na língua portuguesa que se refere ao que é destituído de razão, de propósito ou de sensatez”. Numa reunião de trabalho, uma colega diz: “É um absurdo a pessoa agir dessa forma”. Naquele instante um pensamento me surge:Continuar lendo “O que é um absurdo?”

Estamos sempre achando?

Nossas vidas parecem mais um mar de pensamentos. A todo instante uma ideia, uma vontade ou um desejo surgem na cabeça, mas não expressamos, talvez com receio do que o outro vai pensar ou como ele irá reagir. E então passamos a julgar, como se estivéssemos dentro do outro e pudéssemos ler os seus pensamentos.Continuar lendo “Estamos sempre achando?”

Quem é o outro?

O outro é alguém que está fora de mim. Ele pode ser real ou imaginário. Real quando posso tocá-lo ou quando ele faz parte da minha realidade. Imaginário quando penso que ele existe, mas não o conheço, e talvez nem queira conhecê-lo. A relação que temos com o outro diz muito sobre nós. Penso queContinuar lendo “Quem é o outro?”