O que é a paz?

Geralmente quando desejamos feliz aniversário a alguém, dizemos “Muita paz, saúde e felicidade”. Dessa tríade, o que conseguimos melhor definir é a saúde, porque felicidade e paz exigirão de nós mais reflexão.

Para muitos paz é somente antônimo de guerra. E no dicionário está assim. Quando não estamos em conflito, estamos em paz. Defendo que viver em paz é melhor que viver feliz. Talvez porque a felicidade é passageira, efêmera, momentânea, enquanto a paz é mais duradoura, lenta, contínua.

E por vivermos num mundo cada vez mais veloz, esquecemos da paz, que contrária à felicidade, nos traz calma e tranquilidade. Isso porque a felicidade, para muitas pessoas, é sinônima de movimento: viajar, curtir, comer, beber, reunir.

A paz de que eu falo não é ausência de guerra, é presença de espírito, de silêncio, de nada. Enquanto a maioria quer ser feliz, ter paz parece o desejo de poucos, talvez porque esses poucos já viveram em guerra, quer com os outros, quer consigo mesmos.

Estar em paz é sair na rua e não se preocupar com o aonde e sim com quem. Se estou em boa companhia, que importância fará o lugar? Se estou bem comigo, qual a importância tem a roupa, o perfume ou os olhares?

Para quem já viveu em guerra, consigo e com os outros, vai entender que voltar para casa pode ser uma das coisas mais felizes do mundo. Por quê? Porque ter para onde voltar é mais importante do que se perguntar ‘por que eu não tenho uma casa melhor?’. Num ambiente de constantes conflitos não há paz. E isso pode ser mais comum do que acreditamos.

Imagine você indo dia após dia, de segunda a sexta, para um lugar no qual você não gostaria de ir. Esse lugar é o seu trabalho? Se sim, você não está em paz. Procure outro trabalho, outro modo de ganhar a vida, porque em breve estará doente, se já não estiver. Lembra-se da saúde que falei no primeiro parágrafo? Pois é, paz tem a ver com saúde.

Do mesmo modo pense em você voltando para a sua casa num dia qualquer. É bom voltar para um lugar no qual você não é feliz? É sacrificante dividir o mesmo teto, a mesma cama, o mesmo banheiro? Quão é doloroso segurar a mão do seu parceiro e caminhar assim numa rua movimentada?

Lembra-se da felicidade que falei no primeiro parágrafo? Pois é, paz tem tudo a ver com felicidade. Você não precisa estar rodeado de amigos, ou numa praia paradisíaca, para estar feliz basta ter ao seu lado alguém que você ama e confia, e esse alguém pode ser você mesmo.

Não é o ambiente que precisa ser feliz ou estar em paz, mas sim você. Porque quando você descobrir que tem saúde, e que está em paz, talvez você enfim descubra o que é essa tal felicidade.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: