Dúvidas ou certezas?

Você tem certeza de alguma coisa na vida?

Muitas pessoas afirmam que a única certeza que se tem é a da morte. Ela chegará inexoravelmente para todos nós. Mas será que não temos outras certezas?

Deus existe? Sua família é tudo? Amizade é a coisa mais importante? O amor é o maior dos sentimentos? Somos todos iguais? Estou feliz profissionalmente? Somos livres?

Essas perguntas, muitas sem respostas, nos incomodam em determinados momentos da vida. Talvez porque busquemos a certeza, e não a encontramos, talvez porque não estejamos procurando nos lugares adequados, talvez porque elas não existam ou nunca vão existir.

Não conseguimos ter a convicção de que Deus existe? Sim. Ele existe. Mas e quando nos acomete uma tragédia ou uma grande perda? Acreditamos Nele? Ou questionamos a sua existência? Se somos todos iguais, por que não temos as mesmas oportunidades? Alguém escolheria sofrer? Escolheríamos uma vida de pobreza, sem oportunidades, sem desejos?

E são justamente eles, os desejos, que nos movem, mas que também nos paralisam. Porque nunca vamos satisfazer todos os nossos desejos. Eles nos serão infinitos. Tudo bem, são eles que nos farão caminhar, no entanto, são eles que nos farão parar e perguntar: Onde eu quero chegar? O que eu preciso para ter uma vida boa?

Sem dúvidas, a resposta está no caminhar, no dia a dia, na vida presente, nas atitudes ou na falta delas em relação a tudo. Quero um melhor emprego, um melhor salário, para ter o que eu desejo, mas e depois? O que vou querer mais? Conseguiremos ter a certeza de qual será o limite dos desejos?

Disseram-me certa vez que a “família é tudo”. Eu acreditei. E depois de um tempo descobri que não era. Tive a crença de que todos devem se ajudar, especialmente dentro da família. Não é bem assim. Desacreditei no que eu acreditava e passei a ver que a família é importante, não porque deveria ser, mas porque poderia ser. A família é o suporte que todos precisamos, mas que nem todos têm. Deixei as crenças de lado e mudei de opinião. Família é sim uma instituição valiosa, mas nem sempre estaremos em uma que vale a pena. Não tenho certeza! Talvez a dúvida é que me faça caminhar, tomar atitudes…

Admiro quem tem certeza de tudo, porque quando “quebra a cara”, muda de opinião, e segue vivendo. Isso já aconteceu comigo, quando eu tinha algumas certezas. Hoje, porém, não tenho mais tantas certezas, talvez algumas poucas, que vão durar até o momento da decepção.

Alguma dica no final? Viver a dúvida ou viver a certeza? Prefiro a dúvida, pois é no caminhar que ela vai se desfazendo. A certeza pode ser boa, até encontrar-se com as contingências. A dúvida nos leva à busca, às respostas, nos tira do comodismo. A certeza nos frustra, porque nem sempre vamos estar preparados para a verdade. Qual a sua escolha?

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: