Quando as pessoas mudam?

Não vamos perder tempo neste texto perguntando se as pessoas mudam ou não, porque sabemos que a resposta é “sim”. Não vamos também perguntar se alguém consegue mudar o outro, porque sabemos que a resposta é “não”. Então o melhor é tentarmos entender quando as pessoas mudam.

A resposta mais simples seria dizer que as pessoas mudam quando elas desejam mudar. E é verdade. Alguém pode te dizer que você está gordo e que precisa de uma dieta. Você até concorda que tem a necessidade de emagrecer, mas irá tomar alguma atitude? Não sei. O que sei é que quando isso passar a ser um incômodo, você possivelmente tomará a decisão e agirá.

As mudanças vêm e vão em nossas vidas e às vezes nem damos conta disso. Quer ver um exemplo? O sujeito sempre criticava os colegas de trabalho porque esses chegavam atrasados na empresa, sempre no turno vespertino, e o motivo era o mesmo: a tarefa de deixar os filhos pequenos na escola. Esse mesmo sujeito virou pai e como tal, também passou a ter o mesmo problema com o horário. Será que ele vai mudar sua postura quanto às críticas? A resposta é “sim”.

Mudar realmente não é fácil, mas as mudanças virão sempre que as acharmos convenientes. Subordinados que criticam seus chefes, geralmente mudam de opinião quando ocupam cargos superiores. Da mesma forma, chefes que muitas vezes reclamam da morosidade do empregado em realizar alguma tarefa, quando precisam fazê-la, descobrem que o feitio dela não era tão simples como parecia. É preciso, portanto, empatia, colocar-se no lugar do outro. Assim a mudança virá.

O interesse e a determinação em mudar serão sempre individuais. Cada um sabe ou acha que sabe o momento certo para a mudança. E precisamos respeitar isso. Em muitas situações, desejamos realizar a mudança na vida das pessoas e nos frustramos, porque elas não mudaram. Criamos expectativas e nos decepcionamos, mas esquecemos que o agente da mudança será sempre a própria pessoa.

As pessoas vão mudar quando sentirem o real desejo da transformação. Se analisarmos friamente, por toda a nossa vida as mudanças se deram assim. No trabalho, por exemplo, em algum momento você sentiu necessidade de receber um salário maior. Quais as alternativas? Estudar foi, certamente, uma delas, se não a principal. Ou você foi cursar uma faculdade, ou decidiu estudar para um concurso público.

Na vida pessoal também acontece ou aconteceu da mesma forma. Cansamos de uma fase e mudamos para outra. Talvez alguém tenha aconselhado a mudança, outros tenham até insistido no assunto, mas o importante é que a decisão de mudar foi sua. Pode ter sido a saída da casa dos pais, o fim de um relacionamento ou o início de outro, o casamento, ter filhos, mudar de casa, todas elas só foram possíveis através da sua ação.

Poderíamos terminar perguntando se há um momento especial para as mudanças? Eu diria que não. Mas é importante sempre ressaltar que somos nós os condutores de nossas vidas, por isso, a decisão sempre será nossa. Isso é bom? Para muitos, talvez não!

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: