O que é respeito?

No dicionário, respeito é o “sentimento que leva alguém a tratar as outras pessoas com grande atenção e profunda deferência, consideração ou reverência”.

Ainda na infância aprendemos a ter respeito pelos nossos pais. Chamá-los de “senhor” e “senhora”, pedir a benção, perguntar se pode ou não realizar determinada ação. Enfim, o respeito passa ou passava pelo “sim” ou “não” daqueles que nos educavam.

Na sala de aula também aprendemos a respeitar o professor. É ele quem manda. E nós obedecemos! Porque o professor é o mestre, ele sabe tudo, ele é a autoridade, e ao entrar ou sair da sala, pedimos permissão. Respeitamos ainda o docente, pois ele é mais velho que nós, e como tal devemos seguir as regras por ele impostas.

Na adolescência começamos então a nos tornar rebeldes, e perdemos um pouco, para outros muito, do respeito que adquirimos até então. Nos descobrimos “os donos da verdade” e cheios de razão passamos a questionar tudo e todos, ainda que a relação de dependência continue existindo entre pais e filhos.

Quando saímos da casa dos pais ou nos tornamos adultos é que a grande mudança acontece. Agora somos nós que mandamos em nossas casas e, sendo assim, quem dita as regras não é mais o professor, quem diz “sim” ou “não” não são os nossos pais. O comando mudou de mãos e o respeito parece mudar de significado.

Alguns descobrem com o tempo que chamar o pai ou a mãe de senhor e senhora não é tão importante, mas a forma como tratá-los sim. Outros descobrem que o respeito ao professor não deve ou não devia ser pelo seu cargo de docente ou autoridade em sala de aula, e sim por ser um profissional exemplar. Descobrimos ainda que o respeito não está na fala, no gesto ou na formalidade dos cargos, e sim no comportamento das pessoas, e a isso damos o nome de exemplo.

Sempre que falamos de respeito, precisamos entender que o ato de respeitar passa pelo exemplo que tivemos em casa, na sala de aula, na igreja, ou em qualquer outro lugar. Se não respeito a minha posição numa fila de supermercado, é porque em algum momento vi meus pais ou parentes fazendo a mesma coisa. Se não respeito a placa de proibido estacionar, é porque presenciei alguém que me cobrava respeito fazendo o mesmo. O que eu fiz? Segui o exemplo.

Que possamos ter o cuidado e a coerência de não exigirmos respeito aos outros, e agirmos de forma contraditória ao que pregamos em nosso discurso. Respeitar tem a ver com ação, com exemplo, com o real e não com o que idealizamos. Que mesmo não sendo pais ou professores, possamos ser exemplos silenciosos para os outros, seja cedendo o lugar a um idoso numa fila, seja parando antes das faixas para pedestres, seja seguindo as normas da empresa, enfim, que ao cometimento de qualquer ato ético em relação aos outros, possamos deixar clara a mensagem que respeitar o seu semelhante é como dizer a ele: “Você é importante pra mim”!

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: