Para que serve a paciência?

Vamos falar de um tema ou de uma qualidade que é essencial para termos uma vida, se não feliz, pelo menos com pouco sofrimento. É a paciência. E confesso que é algo que busco com frequência, mas que não é fácil de se praticar.

Pessoas impacientes quase sempre são inquietas, ou agitadas por natureza. Fazem coisas de modo rápido e não têm muita “paciência” com pessoas mais lentas. Não é que as pessoas mais lentas estejam erradas, mas são as impacientes que querem tudo de forma muito veloz. Por isso, digo que quem é impaciente sofre em demasia. Porque o tempo é igual para todos, mas quem sofre de impaciência acredita que está sendo penalizado pelos deuses, especialmente quando as coisas não acontecem no tempo que desejam.

A paciência é uma virtude que nos ensina a cada instante que não somos donos do tempo. Ela ajuda também na compreensão de que alguns momentos precisam ser refletidos e que a espera é, muitas vezes, melhor que o final. Lembremos então do Natal quando ainda éramos crianças. Esperar chegá-lo, ainda que impacientes, fazia-nos sonhar e sentir um imenso frisson com a expectativa de sua chegada.

Para aqueles que acreditam em Deus, a paciência mostra o quão importante é a espera do tempo, não o nosso, mas o de Deus. Muitas vezes desejamos algo tão ardentemente e esquecemos que nem tudo aquilo que esperamos impacientemente é para o nosso bem. Quantas vezes aguardamos por uma viagem e ela não acontece, ou porque algo de ruim aconteceu posteriormente ou porque algo bem melhor que ela também surgiu após a espera desesperada.

Ser impaciente é querer passar o carro adiante dos bois, como dizem os antigos. Porque tudo tem o seu tempo. É o que está escrito no capítulo três do livro Eclesiastes, da Bíblia. Se você ainda não leu, experimente a leitura e veja como é importante buscarmos essa virtude tão importante.

A paciência nos mostra também que em alguns momentos conseguiremos realizar ações e tomar atitudes, especialmente quando elas estão ao nosso alcance; da mesma forma, em outros momentos, descobriremos que o melhor é aguardar, principalmente quando as decisões ou as atitudes não dependerão de nós e sim dos outros. É seguir a máxima de Epicteto, no seu Manual para a Vida.

Ser paciente é entender que a vida é feita de fases, umas boas outras ruins, mas que elas irão passar. Com o tempo vamos descobrindo que a vida não acontece ao nosso bel-prazer, de modo especial quando nos surgem as contingências, que podem ser favoráveis ou não. Por isso, que tenhamos sabedoria para distinguir o momento de agir do momento de esperar. Paciência!

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: