Quem quer ser pobre?

Acredito que ninguém queira ser pobre. Todavia, há muita gente se dizendo pobre por aí. Eu disse “dizendo”, porque o discurso é um, mas a realidade é bem diferente.

Pobre que é pobre não se vangloria de ser pobre. Ele não enaltece sua pobreza, contando a todos como é ou está a sua situação econômica. Sabem por quê? Porque o verdadeiro pobre tem vergonha de sua condição. Ele não gostaria de sê-lo, mas é.

Mas se ninguém quer ser pobre, por que alguém se diz ser? Porque o discurso agrada. Reparem que, geralmente, quem tem uma boa condição financeira é aquele que se intitula pobre, mesmo não desejando a pobreza. Na realidade, algumas pessoas procuram desculpas para não tomar decisões, e se justificam dizendo ser pobres. Não praticam atividades físicas numa academia, não compram um computador, não matriculam o filho numa escolha melhor, não viajam a lazer, não cursam uma faculdade, não trocam de carro, enfim, não tomam nenhuma atitude porque lhe faltam dinheiro, ou melhor, porque são pobres. Vocês conhecem alguém que tem piscina em casa e se diz pobre?

Pois é. Algumas dessas pessoas têm o péssimo hábito de desmerecer tudo aquilo que o outro conquistou a duras penas. São praticantes do discurso: “eu bem que gostaria, mas não posso, porque sou pobre”. Elas se passam por vítimas, praticando o conhecido coitadismo.

É sempre bom lembrar que pobre, na acepção da palavra, não tem carro, não viaja a turismo, não tem piscina em casa, aliás, ele nem casa tem. O pobre real é desprovido de diversos recursos, como alimentação, vestuário, cuidados de saúde, segurança, internet, lazer etc.

Por isso, quando alguém lhe disser que é pobre, corrija-o ou alerte-o para o significado da palavra “pobre”. Certamente, para aqueles que não a usam com segundas intenções, vale a pena chamar a atenção, pois talvez eles não tenham a dimensão do que é ser pobre, especialmente num país tão desigual socialmente como é o nosso.

Quanto àqueles que usam a palavra “pobre” nos seus discursos, utilizando-se desse artifício para ludibriar os outros, fica um alerta maior ainda. Reparem que essas mesmas pessoas usam outras palavras para se autodefinirem, visando distorcê-las, deixando a entender que são coitadas e que por isso merecem seu apreço. Há pessoas que se dizem negras sem ser, mormente quando se trata do ingresso em universidades públicas via sistema de cotas raciais. Tem gente se dizendo pobre para conseguir auxílios governamentais, bolsas de estudo e outros tantos benefícios.

São essas e outras tantas pessoas, praticantes do coitadismo, para receber algum tipo de vantagem. Na realidade, elas não querem estar no lugar dos pobres, negros, homossexuais, idosos, doentes, ou quaisquer outros tipos de pessoas que sofrem algum tipo de preconceito. O que elas desejam é conquistar a compaixão e a confiança dos outros, visando conseguir algo para si, que será usado em benefício próprio.

Repito. Ninguém quer ser pobre! Se conhecer alguém que queira ser, desconfie e questione, pois tenha a certeza de que o discurso é muito bonito, mas a intenção não é.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: