Você é colaborador ou empregado?

Colaborador para o dicionário é aquele que colabora ou que ajuda outrem em suas funções. É quem produz com outros qualquer trabalho ou obra, coautor.

Percebam que quando falamos de colaborar, temos a ideia de cooperação. Colaborar seria ajudar o outro a fazer algo. Mas no ambiente de trabalho nós estamos dispostos a isso? Quem vai receber o mérito pela obra acabada? Eu? Você? Todos? O nosso chefe? A empresa?

Nas empresas e instituições somos lembrados a todo instante que o trabalho é ou deveria ser em equipe, mas nem sempre a equipe é valorizada pelo seu desempenho. No final é a figura do chefe, administrador, gerente, coordenador, diretor, ou mesmo do dono que vai aparecer. Parece que depois da meta alcançada os aplausos são só dele. “É o líder”, alguns vão dizer, mesmo não sendo. “É o grande maestro que conduziu a orquestra”. E o que resta aos empregados? Serem chamados de colaboradores.

“Fulano é meu colaborador há cinco anos”. Não, ele não é! Ele está recebendo um salário (bom ou ruim) para desenvolver determinadas tarefas e atribuições, e se seu desempenho for ruim ou não decidir colaborar, certamente será demitido. Aí não será mais um ex-colaborador e sim um desempregado.

No ambiente organizacional, quem manda está sempre tentando motivar quem obedece. É a realidade. O problema é que, como já disse em outras oportunidades, ninguém motiva ninguém. E então o que fazer? As empresas adotam duas formas de motivação: punição ou recompensa.

No tocante à punição, donos ou chefes ameaçam o empregado dizendo a ele: “Se você não quer o emprego, tem uma fila de gente lá fora querendo”. É como aquele gestor que ao pagar o salário mínimo no final do mês acha que está fazendo um favor para o empregado, e não cumprindo uma obrigação anteriormente acordada.

No que diz respeito à recompensa, bons trabalhos realizados podem ser reconhecidos, ou com um valor a mais na remuneração, com elogios, possibilidade de promoção, e até mesmo uma pizza para a equipe que atingiu a meta (isso mesmo, uma pizza!). Nessas horas fico me perguntando se o sujeito é colaborador ou empregado, porque se ele realmente fosse colaborador, certamente pediriam sua opinião antes de premiá-lo com uma pizza.

O fato é que as empresas buscam de todas as formas descobrir essa tal motivação nos seus empregados, e em vez de perguntarem a eles, preferem tentar adivinhar, oferecendo-lhes exatamente o que eles não querem, demonstrando uma imensa falta de empatia.

Lembrem-se que filhos adulam seus pais quando querem ganhar um presente. E chefes chamam seus subordinados de colaboradores quando querem bater a meta.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: