Você faz o que gosta?

Fazer o que gosta é sempre difícil, porque dificilmente conseguimos definir do que gostamos. Para tanto, precisamos nos autoconhecermos, e quem sabe assim, conseguirmos agir conforme os nossos gostos.

É preciso pontuar que fazer o que gosta não está só relacionado ao trabalho. Sabemos que o trabalho é importante, mas que ele ocupa (ou deveria ocupar) apenas um terço do nosso tempo. Além do lado profissional, é válido ressaltar, precisamos também fazer coisas ou agir de acordo com aquilo em que acreditamos e sentimos satisfação.

Na vida pessoal, fazer o que gosta tem a ver com ouvir as músicas que te emocionam, ler livros de assuntos que lhe dão prazer, assistir filmes que o fazem refletir ou simplesmente que te façam sorrir. Por que digo isso? Porque temos uma forte tendência a querer agradar os outros e esquecemos, ou deixamos de lado, as nossas preferências, os nossos gostos.

Prefiro escrever sobre temas que tratam situações ou sentimentos vividos, e não sobre pessoas de modo específico. Nesse sentido, fazer o que gosto demonstra mais sobre minha personalidade que tentar entender ou criticar a dos outros. Muitas vezes deixamos de expor o que pensamos ou sentimos, por temer a reação dos outros, e acabo me preocupando demasiadamente com a opinião alheia. Exemplificando, se você gosta de ler livros de autoajuda, não tenha vergonha de dizê-lo, é um gosto seu, que diz respeito a você e ninguém tem a nada a ver com isso. Fazer o que se gosta é mais importante!

Cozinhar, costurar, escrever, dançar, pintar, bordar, cantar, maquiar, tocar um instrumento musical, enfim, tudo é arte, e se você acredita, talvez seja porque sua autoestima anda muito baixa. Fazer arte é fazer o que gosta. Você o faz porque lhe dá prazer e não porque queira impressionar alguém, ou que tente impor às pessoas o seu gosto ou modo de enxergar a vida.

Por isso, leia o que quiser, chore quando sentir vontade, abrace alguém e diga-lhe o quanto o considera importante, e escute no volume que desejar a sua música preferida, porque é isso que nos trará paz de espírito, proporcionando-nos o entendimento que fazer o que gosta tem mais a ver com emoção que com razão. Por isso, se o mundo te chamar de irracional, sorria, e seja feliz fazendo o que gosta.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: