O que é o amor?

Será que conseguimos definir o que é o amor? Acho difícil, mas vamos tentar.

Quando mais novos, confundimos amor com paixão, dizendo a todo instante ao outro “eu te amo”. Descobrimos com o tempo que falar é mais fácil que sentir. Como costumo dizer: “A paixão vem cedo, mas o amor só chega mais tarde”. E é a maturidade que nos faz perceber que amar envolve muito mais sentimentos e ações que apaixonar. A paixão é fugaz, efêmera, passageira. O amor é tenaz, forte, duradouro.

Amamos não só na presença do outro, mas principalmente na sua ausência. Se viajo, penso: “Ela gostaria de estar aqui vendo essa paisagem ou visitando aquela loja”. Se ela sai, pensa, “vou compartilhar com ele o que vivi na sua ausência”. Amar rima com abdicar, abir mão, renunciar, mas não sofrer com a atitude tomada, e sim fazê-lo de boa vontade, em função do outro. Nesse sentido, amar é sempre uma troca, na qual o que vale mais é a felicidade do outro: “Se você está feliz, eu também estou”.

Contudo, vivemos num mundo cada vez mais líquido e individualista, e assim sendo não é simples encontrar alguém que troque sua felicidade pela do outro, porque a própria palavra diz “troca”, ou seja, os dois dão, mas também recebem. É por isso que repito que casamento tem mais a ver com parceria que com amor. Porque quando amamos, penso muito mais na minha parceira que em mim e vice-versa. E se pensamos assim, o principal objetivo que temos em comum será alcançado – estar juntos e felizes.

Como se pode ver, é complicado explicar o amor, mais difícil ainda é limitá-lo, talvez porque ele não seja racional, padronizado ou possua uma fórmula que possamos sempre utilizar.

Pra mim, a frase que melhor define ou que se aproxima do conceito de amor é “quem ama cuida”.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: