De que é feito o mundo?

Não tenho uma resposta para a pergunta, mas diz-se que o mundo continua sendo mundo, e que apesar das mudanças, a sua essência permanece. Mas o mundo não muda, quem muda são as pessoas. Ainda assim, as pessoas são essencialmente as mesmas, ou agem da mesma forma. Será?

Antes mesmo da globalização e da internet, as pessoas se conectavam, mas essa conexão era ao vivo e presencial. Dona Maria colocava uma cadeira perto do muro, subia nela e chamava dona Luci, sua vizinha. O chamamento era na realidade um pedido: um pouco de açúcar para adoçar o café. Na semana seguinte, dona Luci batia na porta da casa de dona Maria, para pedir-lhe um pouco de café, pois o seu acabara inesperadamente. Os pedidos foram prontamente aceitos.

Passados alguns anos, a filha de dona Maria telefonou para a filha de dona Luci, perguntando a ela se não tinha uma sandália de cor preta para emprestar, pois iria a uma festa à noite. Na semana seguinte, a filha de dona Luci pediu à filha de dona Maria uma blusa vermelha emprestada, para combinar com os sapatos novos que ela tinha comprado. Ambos os pedidos foram também atendidos.

Décadas depois, a neta de dona Maria enviou um e-mail para a neta de dona Luci, solicitando a ela a possibilidade de ficar com o seu filho pequeno durante o período da noite, pois surgira um compromisso inadiável naquele dia. Pedido aceito! Na outra semana foi a vez da neta de dona Luci pedir à neta de dona Maria um grande favor: Olhar suas duas filhas das 17 às 19 horas, pois ela teria que participar de uma reunião extraordinária na empresa onde trabalhava.

Ontem, a bisneta de dona Maria postou no Instagram uma foto que havia tirado num evento. Era uma festa muito animada e ela estava rodeada por amigos. A bisneta de dona Luci curtiu a publicação e ainda mandou um direct: “Linda”. Hoje pela manhã, a bisneta de dona Luci postou uma foto na praia, de biquíni e tomando água de côco. A bisneta de dona Maria curtiu a foto e enviou um direct: “Diva! Maravilhosa!”.

Não importa o tempo ou a tecnologia, o mundo continuará sendo feito de trocas!

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: