Quanto vale a sua opinião?

Atualmente vivemos num mundo onde todos querem dar a sua opinião. Isso é muito bom. Sinal de que estamos vivendo numa democracia.

Em minha opinião, existem dois tipos de opinião. A primeira eu chamo de “rasa”, ou seja, aquela que não tem profundidade, superficial e geralmente emite juízo de valor. A segunda eu chamo de “profunda”, pois contrária à primeira, é mais difícil de chegar, pois é também consistente.

Aqueles que optam pela primeira opção, agem de forma intempestiva e emitem sua opinião, muitas vezes, a partir do nada. São pessoas que dizem “eu acho”, como se tivessem encontrado, por acaso, alguma coisa e agora desatam a falar sobre o assunto. Pior que elas, somente as que têm certeza de tudo, pois usam os argumentos mais esdrúxulos para comprovar o que não pode ser comprovado. As opiniões rasas não possuem alicerce. É como assistir um telejornal ou ler um excerto de um texto ou livro, e se achar o economista ou o entendido em política.

As opiniões profundas possuem embasamento. Seus pilares são constituídos por incansáveis leituras e estudos realizados de forma ampla. Os pontos de vistas de cada um deles são mais críveis, fugindo dos achismos ou o que é melhor, não pendem somente para um lado, rechaçando desse modo os sectarismos. Além da leitura, vale muito a experiência ou o que chamamos comumente de “prática”. Nesse sentido, teoria e prática devem caminhar juntas, o que torna a opinião ainda mais robusta.

Da minha parte, gosto das duas opiniões. A rasa me mostra que pareço estar num caminho mais reto, pois corrobora com a necessidade da leitura. A profunda me traz dois sentimentos: um de que é preciso mudar e o outro é de que nada sei.

De tudo, porém, o mais importante é que tenhamos sempre a liberdade de emitir as nossas opiniões, sejam elas rasas ou profundas. Ou como diz a frase, que é erroneamente atribuída a Voltaire: “Eu discordo do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

2 comentários em “Quanto vale a sua opinião?

  1. Caro colega de longos anos, dizer que vc escreve bem é repetição para nós que o conhecemos! Parabéns pela sensibilidade ao captar a realidade, vamos seguindo na busca pelo entendimento do humano e do mundo. Obrigada por criar esse canal de oportunidade para degustarmos os seus textos!! Gratidão!!

    Curtir

Deixe uma resposta para Joaquina Nobre Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: