Por que os casamentos não duram mais?

Quando me perguntam sobre casamento, costumo dizer que casamento foi feito para não durar. E não estou sendo pessimista.

Casar é unir duas pessoas diferentes, onde essas diferenças, muitas vezes não visíveis aos olhos, propiciam diversos obstáculos ao matrimônio. Elas podem ser econômicas, sociais, sexuais, de educação, de criação, religião, estilo de vida, enfim, de qualquer natureza, revelando-se ao casal um novo desafio: continuar casados!

Atualmente casamento tem mais a ver com parceria que com amor. E o dicionário concorda: parceria “é a reunião de indivíduos para alcançar um objetivo comum”. Qual é o objetivo? Para muitos, manter-se casados. Para outros dar satisfação à sociedade. Pra mim, fazer o outro feliz.

Há duas grandes mentiras que as pessoas acreditam quando se casam. A primeira é achar que o outro vai mudar depois de casado. Se sua namorada gasta muito tempo para se arrumar, sua esposa também o fará. Se seu namorado gostava de beber, seu marido vai continuar gostando. Lembre-se: Ninguém muda ninguém!

A segunda mentira é crer que você está no casamento para ser feliz. Primeiro porque o conceito de felicidade é amplo e individual, a minha felicidade pode não ser a sua. Segundo, porque no casamento não existe mais “eu”, e sim “nós”. Nossa casa, nosso carro, nossos filhos, nossos objetivos, nossa felicidade…

É lógico que precisamos entender que os tempos mudaram, e as relações também. Segundo Baumann, nos seus livros Amor líquido e Modernidade líquida, os relacionamentos de agora são mais flexíveis, se desfazem mais facilmente, são pouco duradouros. “Nada é para durar”. Resumindo e sendo direto: as pessoas trocam de relacionamento como trocam de roupas.

Entretanto, é preciso pontuar que os relacionamentos de hoje acontecem mais por afinidade que por obrigação, especialmente se os compararmos aos de outras épocas. Alguém pode sugerir que os casamentos de antigamente eram melhores porque duravam mais. E eu pergunto: eram melhores para quem? Certamente para os homens, que tinham a liberdade de ter relacionamentos extraconjugais, que não podiam ser questionados pelas esposas, e que essas, por suas vezes, suportavam caladas, pois viviam numa sociedade onde reinava o machismo.

Hoje é muito diferente? Nem tanto, mas as mulheres estão mais empoderadas, principalmente pela independência profissional frente aos maridos.

Repito: casamento é parceria, tem que ser bom para os dois lados.

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: