Em qual fase da vida você está?

A nossa vida não é um jogo de videogame, mas durante ela passamos por diversas fases, e muitas vezes nem percebemos isso. Mas a grande diferença do jogo para a vida é que só temos uma vida, infelizmente.

Algumas pessoas até tentam pular as etapas, buscando atalhos que possam levá-las a algum objetivo de forma mais imediata, mas não adianta, temos que viver (bem) cada fase da vida.

Se voltarmos no tempo, veremos que a fase de sair todos os dias, conhecer gente nova e se arriscar em grandes aventuras, já passou. Vamos chamá-la carinhosamente de “fase da loucura”. O momento agora pode ser outro, ou o que chamamos de “fase da segurança”. Se você tem um dinheiro a mais hoje, vai perceber que é melhor pagar um pouco mais pela segurança ou tranquilidade de um camarote que ficar na loucura da pista. É muito agito, muito barulho, para alguém que alcançou uma certa maturidade.

Como já disse, passamos de fase e nem percebemos. No videogame, quando isso acontece comemoramos, mas na vida real não. Estamos tão imersos na correria do dia a dia que esquecemos de comemorar a nossa evolução (ou involução para alguns). Precisamos perceber o quão importante é reconhecer a atual fase da vida, para não agirmos com infantilidade em determinados momentos, ou sermos apáticos acreditando que a vida está chegando ao seu fim.

Durante a nossa caminhada, as fases da vida nos trazem pessoas e desejos que serão relevantes, mas alguns vão durar somente aquele período, enquanto outras se eternizarão em nossas vidas. Os desejos são líquidos, fugazes e, assim que saciados, não terão mais importância. Quanto às pessoas, as que se foram estavam em outra fase da vida e não por acaso partiram. As que permaneceram fazem parte de algo maior, que eu chamo de “fase do amor”.

Por último, não fique triste ou preocupado se a fase não está boa pra você. É apenas uma fase…e ela sempre passa!

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: