Você já foi minoria?

A pergunta que o título traz é importante, porque nos faz refletir sobre algumas de nossas atitudes no dia a dia.

Se você faz parte de um grupo, seja ele qual for, onde os seus pensamentos, gostos e ideias são compartilhados pela maioria, a convivência se torna muito mais fácil, se não vejamos. A maioria dos seus colegas de trabalho, ou de faculdade, ou familiares, ou amigos, torcem para o mesmo time que você, são adeptos da mesma religião, possuem a mesma orientação sexual, ou pertencem à mesma classe social. Que maravilha! Possivelmente vocês se entenderão bem, pois têm características semelhantes no grupo. Mas e quando você é minoria?

A história mostra que quando se é minoria, o cenário nunca é favorável e o ambiente, seja ele qual for, se torna mais pesado. Imagine você, mulher, dizendo dentro do seu grupo de referência, que não deseja ser mãe. Ser mãe, vale destacar, parece ser uma regra incontestável… para a maioria. Imaginemos então você, homem, dizendo para os seus colegas de futebol, que você é homossexual. Já pensou? Imediatamente surgirá o silêncio e em seguida alguém fará o comentário: “Sem problemas. Somos amigos acima de tudo”. Mas sabemos que não é bem assim. A maioria vai determinar a exclusão da minoria.

Se você fizer um exercício de reflexão agora, descobrirá que em algum momento em sua vida você foi minoria. Vejamos: você não consome bebidas alcoólicas; não gosta de futebol; prefere o silêncio ao barulho; não participa das confraternizações da empresa; é fiel à sua esposa ou esposo; não acredita que o trabalho seja mais importante que sua família; não pensa que deve trabalhar os três turnos para suprir os desejos dos seus filhos; não acredita em Deus; não está nas redes sociais; não compra roupas “de marca”, etc. etc.

Nesse sentido, defendo que o respeito é essencial para a boa convivência, seja no trabalho, na escola, na rua ou mesmo em casa. Ser diferente não é pecado! Cada ser humano é único e não só fisicamente, mas na sua essência.

Portanto, precisamos entender que ser minoria é somente estar em menor quantidade, e não em qualidade. Ser minoria é ser diferente! Simples assim…

Publicado por Ralph Neves

Não sei bem me definir...Gosto de escrever, talvez porque gosto muito de ler. Sou curioso e tenho muitas dúvidas, mas não sou cético, porque acredito em muitas coisas e ao mesmo tempo não creio em nada. Muitas vezes penso que sei, e descubro que não sei nada. A frase atribuída a Descartes ajuda a me definir: "Daria tudo que sei pela metade que ignoro". Estou sempre procurando e talvez não encontre, mas o que realmente importa? Certamente é o caminho da busca...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: